Colóquio Marketing de Vinhos Algarve

O dia de ontem foi passado por completo de volta do vinho, que Sábado fantástico.
Cheguei a Lagoa com planos de assistir ao colóquio Marketing de Vinhos, organizado pelo DRAP Algarve, inserido no programa da Fatacil e aguardar pelos resultados do IV Concurso de Vinhos do Algarve, também da responsabilidade da DRAP Algarve.

A manhã foi passada no Convento de S. José, onde decorria em simultâneo em salas diferentes, a prova cega do IV Concurso de Vinhos, presidida pelo Aníbal Coutinho e o colóquio no auditório.

IV Concurso de Vinhos do Algarve
Fica a fotografia da sala onde decorreu a prova, com 11 elementos a formar o júri.

Colóquio - Marketing de Vinhos

O colóquio sobre Marketing de Vinhos, foi bastante interessante. Pensado essencialmente para os produtores Algarvios, a organização lamentou que nem todos participassem.
Durou apenas no período da manhã, contando com quatro oradores.

Antonio Jose Raiado

Contamos com as apresentações do professor ESGHT da Univ. do Algarve, António José Raiado Pereira, do Núcleo de Marketing, que iniciou as palestras e que centrou a sua no marketing de vinhos, serviu de introdução e de mote ao que se seguiria.
Recordou ainda os tempos em que ía com o pai a visitar pequenos produtores a quando do vinho novo, em que uma comunidade de amigos se juntava em redor do vinho e isso unia as pessoas.
Recordou que as provas eram gratuitas e ninguém saia sem levar pelo menos um garrafão.
Uma apresentação actual, com referências ao trabalho das marcas de vinhos na utilização das novas tecnologias, com especial atenção ao uso das redes sociais para promoção das suas referências. Recordou aos mais sépticos a utilização dos QR Codes como forma de encaminhar os consumidores mais curiosos para o site do produtor ou por exemplo o do Adegga.

Alfonso vargas Sánchez

De Espanha chegou o professor catedrático Alfonso Vargas-Sanchez, da Univ. de Huelva, do departamento de Empresas e Marketing. A sua apresentação focou-se no marketing de vinhos como um mundo de experiências.
Uma mão cheia de dicas para produtores que ainda não sabem bem o que fazer quando recebem os seus clientes e apreciadores na sua adega.
Gostei da frase “precisamos de provocar outras paixões pelos vinhos”, sem dúvida que os produtores se têm de esmerar pois a concorrência é enorme.
Alguns exemplos deixados foram o caso das Bodegas Valdivia, com uma experiência de visita a apelar aos cinco sentidos. Com a Conn Creek Winery, onde é possível criar o nosso próprio vinho e Tren de Vino, uma experiência promovida pelos vinhos do Chile numa rota do vinho realizada de comboio.

Cristina de La Orden

Também da Univ. de Huelva, chegou Cristina de la Orden, com uma apresentação sobre o turista enológico no Condado de Huelva.
Bastante interessante, ficamos a saber que a maioria se encontra na faixa dos 40-50 anos. Quando visitam uma adega têm preferência por estar com o produtor do que com um guia e que procuram experiências autênticas.

Maria João Fernão-Pires

Do Instituto da Vinho e do Vinho chegou Maria João Fernão-Pires com uma apresentação do porquê da criação da marca Wines of Portugal. Uma apresentação institucional bem conseguida desta ferramenta de promoção dos vinhos de Portugal no exterior.

No final o debate, centrou-se essencialmente sobre a utilização da rolha de cortiça, questões legais relacionadas com o IGP e os DOP.
Não dei a manhã como perdida esta serviu para reforçar bastantes ideias sobre o mundo dos vinhos.

De seguida um almoço no recinto da Fatacil, em excelente companhia.

Lagoa Reserva Tinto

A tarde seria de espera pelo anúncio dos vencedores do concurso de Vinhos do Algarve. Para matar o tempo, fui com mais alguns participantes dar um pequeno passeio pela Quinta dos Vales.