Revisão da matéria dada: Alguns vinhos do meu Verão

Os dias têm passado a correr, e este blog, ressente-se da minha actividade como fotografo.

Mas ainda assim estes foram alguns dos vinhos do meu Verão:

Moscatel Roxo JMF 2013
Colecção Privada Moscatel Roxo Rosé 2013, um dos melhores Rosés de Portugal!?


Marquês de Borba Branco 2013, um Alentejo, refrescante!


Adega Mãe Sauvignon Blanc 2013, um produtor que arriscou fazer diferente! Gostei!


Tive também oportunidade de provar vinhos deste produtor da região de Collio, a Azienda Agricola Roncada.
Brancos que não vão à madeira e com uma acidez rica que fazem salivar.

O bom é que o Verão ainda não terminou nem a vontade de aprender mais sobre vinhos!

Loios Branco 2013

Nova temporada de vinhos em Portugal e chegou para prova o vinho reginal Alentejano, Loios branco.
Um lote de Arinto, Rabo de Ovelha e Roupeiro, do grupo J. Portugal Ramos.

Loios BrancoLoios Branco 2013

Loios Branco


O Loios branco está disponível nos lineares de supermercado, com um PVP a rondar os €2,99, um preço muito competitivo para os dias que correm.
Pertence ao grupo de vinhos para se beber sem grandes extrapolações, leve, com grande sensação de frescura e com o aroma a lima a sobressair no nariz.

Um vinho alentejano com um blend, mais alegre, que o torna uma excelente companhia para pratos leves como saladas ou peixe grelhado.

Por falar em peixe, qual o vosso peixe preferido para grelhar?

Duorum Colheita 2011

Duorum Colheita 2011

Definitivamente 2011, para o Douro, está a revelar-se como um ano mítico, não será de estranhar que a Duorum, tenha também optado por um Colheita nesta sua referência de vinho de mesa.
Assim temos o Duorum Colheita 2011, um blend de Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz.

Não tendo tido ainda oportunidade de provar colheitas anteriores o perfil deste vinho era para mim completamente desconhecido.

Foi vinificado totalmente em inox, estagiou depois em barricas de carvalho Francês e Americano de diferentes anos durante 10 meses.
O ano de 2011 no Douro permitiu criar excepcionalmente vinhos com muita fruta, grande complexidade aromática, bem como taninos firmes e com a passagem por madeira, podem imaginar muito bem qual o resultado deste Duorum Colheita 2011.

De uma cor vermelha densa distinta. No nariz somos invadidos por uma grande concentração de aromas a amora e ameixa, qual compota! Ainda surgem aromas a flores silvestres e a tosta vem reforçar um nariz muito complexo.
Na boca temos volume, densidade e uma acidez revigorante. Com muita fruta madura abundante e juventude. Fazem dele um vinho que pode ser já apreciado na sua totalidade, para quem quer um vinho com garra ou pode ser guardado para podermos observar a sua evolução.

Grande surpresa.

Um vinho do Douro, com PVP anunciado a rondar os €10, mas que irá bater-se muito bem com reservas até com preço ligeiramente superior.

Nota: Vinho enviado pela Duorum.

Tons de Duorum Branco 2012

tonsdeDuorumbranco12

Viva ao Verão! E aos vinhos brancos!

Vindo do Douro, pela joint venture João Portugal Ramos e José Maria Soares Franco – Duorum, chega este Tons de Duorum Branco 2012, pensado para este tempo quente com toda a certeza!

Pois com um blend de Viosinho, Rabigato, Verdelho, Arinto e Moscatel, só se podia esperar um vinho cheio de aromas a citrinos, boa mineralidade e acidez!

Atenção que a tonalidade azulada na fotografia, deve-se simplesmente aos famosos filtros do Instagram!

Regressando a este branco DOC Douro, temos um nariz completamente dominado por um aroma a citrinos e com um ligeiro tropicalismo. Na boca temos nervo oriundo da sua acidez, vegetal, possui ainda uma boa mineralidade que o torna bastante fresco.

Gostei deste branco, pensado para os dias quentes com um PVP anunciado de €3,99, que venha o calor!

Nota: Vinho enviado pela Duorum.

Marquês de Borba Branco 2012

marques de borba branco 2012

Novo ano e nova colheita do Marquês de Borba Branco, um vinho que se pode encontrar com grande facilidade em muitos dos lineares de supermercado.

A edição de 2012, deste vinho de João Portugal Ramos o Marquês de Borba Branco 2012, é um blend de Arinto, Antão Vaz, Verdelho e Vognier.
Mais um branco sem madeira para o Verão, pois a sua mineralidade e frescura, são o antidoto perfeito para os dias quentes de Verão.

No copo apresenta uma cor citrina. No nariz notas muito agradáveis de citrinos. Na boca inicialmente um abacaxi maduro, boa concentração de sabores, depois temos um toque vegetal com adicez.
Nada molengão e bem afinado.

Uma compra segura de um bom branco com origem em Estremoz.

Nota: Vinho enviado pelo produtor João Portugal Ramos.

Vila Santa Reserva Branco 2011

Vila Santa Reserva 2011

Vindo de Estremoz da casa João Portugal Ramos o Vila Santa Reserva Branco 2011, é um blend de três castas, a saber: Arinto, Alvarinho e Sauvignon Blanc.

De aroma citrino, com um toque especiado.
Confirma na boca estes aromas e é um reserva com um bom corpo. Com a madeira no limite para algumas bocas, mas para aqueles que não a dispensam vão ter uma boa surpresa.
A acidez não o deixe ser um branco molengão, mas antes fresco e o toque apimentado no final de boca confere-lhe ainda mais interesse.

Um branco que gostaria de voltar a provar nos próximos anos para ver como poderá ter evoluído em garrafa.

Nota: Vinho enviado pelo produtor João Portugal Ramos.