Livros: Guias de Vinhos 2013

Até ao momento foram estes os três guias que já comprei para 2013.
Três guias, três autores com três opções diferentes de escrita sobre o mesmo assunto, o vinho.
Os dois primeiros guias são de autores Portugueses e o terceiro de um autor Inglês.

Guias de Vinho 2013

O livro de João Paulo Martins, Vinhos de Portugal 2013, já na 19º edição é um clássico em Portugal.
Um livro extenso, são 653 páginas.

Gosto de comprar este guia porque é exaustivo possibilitando ter conhecimento de enúmeros produtores. Serve essencialmente de ferramenta de pesquisa, pois a visibilidade do autor permite-lhe aceder a muitos produtores de vinhos Portugueses.
O João Paulo Martins opta por indicar em cada vinho o potencial de guarda, a sua estrutura, classificação de 1 a 5 estrelas e uma classificação de 0 a 20.

Na introdução temos uma pequena f.a.q. (perguntas mais frequentes) sobre vinhos, depois segue-se um capítulo dedicado aos melhores do ano. Este ano inova com um capítulo especial com vinhos até €4,00, seguido de Espumantes, Vinho Verde, Douro e Trás-os-Montes, Dão, Beira, Bairrrada, Estremadura e Lisboa, Ribatejo e Tejo, Setúbal, Alentejo, Algarve e Ilhas, generosos, vinhos velhos e a terminar um glossário.
Cada produtor tem direito a uma breve descrição e os vinhos são agrupados por produtor, opção que gosto pois desta forma ficamos logo a ter ideia do portfólio da empresa.
No guia não estão apenas os vinhos deste ano mas sim, todos os vinhos provados pelo JPM para esta edição.

O Guia Popular de Vinhos 2013 de Aníbal Coutinho com a participação de Neil Pendock. Apresenta as melhores escolhas de vinhos entre €2,00 e €10,00 à venda no supermercado.
Hoje os tempos são outros e neste momento, creio que é nos supermercados que se vende a maior parte do vinho produzido e comercializado em Portugal.

Um guia mais curto em termos de escolhas e centrado nos vinhos de maior consumo.
Está divido pelas seguintes regiões vinhateiras: Minho, Beiras Bairradinas, Lisboa, Terras do Douro, Dão Beirão, Tejo, Península de Setúbal, Alentejo e Algarve. E tem uma secção dedicada ao Bag-in-Box e vinhos fortificados.
Anibal Coutinho escreve ainda sobre as castas em prova e aborda o food pairing.
Para cada vinho apresenta uma nota de prova e pode apresentar 1 a 3 corações dependendo da emoção que cada vinho disperta.

O My Top Wines for 2013 de Oz Clarke, começa com um top 100 de vinhos uma selecção entre brancos e tintos, depois vinhos entre as £6 e £12, perto de £6, baratos, vinhos rosé, espumantes, fortificado e doces.
Todos os vinhos apresentados estão num intervalo de £3 e £30.

Os vinhos Portugueses presentes são Julia Kemper Branco, Herdade do Esporão Pé Branco, Sogrape Quinta de Azevedo Vinho Verde, Giesta Tinto Quinta da Giesta, Quinta do Crasto Tinto, Quinta da Chocapalha Castelão, Falua Tagus Creek , Graham’s Crusted Port, Fonseca Terra Prima Reserve, LBV Unfiltered Fonseca, Madeira Bual 15 anos Henriques & Henriques, W & J Graham Quinta dos Malvedos Vintage, Taylor’s Vargellas Vintage e Fonseca Vintage Port.
Empate entre vinhos tranquilos e fortificados Portugueses, catorze vinhos, na minha opinião pouco, para um pais como Portugal.
Para cada vinho temos uma pequena introdução ou nota de relevo sobre o produtor, seguido de uma nota de prova. E os vinhos estão organizados hierarquicamente pelo gosto em cada uma das secções.

Não existem pontuações de 0 a 20, nem de 0 a 100 nem estrelas ou corações.
Simples, trata-se de um top, organizado hierarquicamente para o ano de 2013 dos vinhos provados no decorrer do ano de 2012.
Dispõe de capítulos com listagem de garrafeiras, como provar vinhos, como comprar vinhos para guarda entre outras.
Este guia de vinhos é um guia internacional de vinhos do mundo.

E vocês que guias costumam comprar?

Livro: O gosto do vinho – Émile Peynaud e Jacques Blouin

O gosto do vinho

Numa troca de comentário no Facebook, com a Alexandra Corvo e o Hugo Mendes, ambos referiram o livro de Émile Peynaud e Jacques Blouin, O gosto do vinho, como uma referência de leitura quase obrigatória.

E como preciso e apurar os meus conhecimentos, logo que tive a oportunidade comprei o livro.
Não tenho pretensões de vir a ser enólogo, mas como blogger, quero saber e escrever melhor sobre vinhos.

Como existe uma versão mais reduzida, com o título: Descobrir o gosto do vinho, achei que podia ser também uma boa escolha para inicio de leitura.

O desafio agora é conseguir ler os livros!