Moscatel de Setúbal Superior 1911

1911

É inegável a qualidade, o prestigio, a tradição e a variedade que os vinhos fortificados Portugueses possuem.

E para confirmar tudo isto, a casa José Maria da Fonseca irá colocar no mercado no próximo dia 2 de Dezembro sobre a forma de leilão um Moscatel datado de 1911. (Todas as informações sobre este evento, aqui.)
A desculpa perfeita para celebrar 180 anos desde a fundação da empresa!

Até parece fácil, mas acredito que foi preciso muito trabalho e muita paciência para trazer até aos nossos dias néctares desta grandeza.
O Moscatel de Setúbal Superior 1911, envelheceu em cascos de madeira na Adega dos Teares Velhos em Azeitão, dando origem agora a apenas 180 garrafas de meio litro.

A amostra (WIT) continha um Moscatel com alguma densidade ao escorrer pelo copo.
No nariz imperou uma madeira antiga, frutos secos, mel e figo.
O final é tremendamente especial, longo e com uma acidez revigorante.

Um moscatel especial, muito especial.

Tons de Duorum Branco 2012

tonsdeDuorumbranco12

Viva ao Verão! E aos vinhos brancos!

Vindo do Douro, pela joint venture João Portugal Ramos e José Maria Soares Franco – Duorum, chega este Tons de Duorum Branco 2012, pensado para este tempo quente com toda a certeza!

Pois com um blend de Viosinho, Rabigato, Verdelho, Arinto e Moscatel, só se podia esperar um vinho cheio de aromas a citrinos, boa mineralidade e acidez!

Atenção que a tonalidade azulada na fotografia, deve-se simplesmente aos famosos filtros do Instagram!

Regressando a este branco DOC Douro, temos um nariz completamente dominado por um aroma a citrinos e com um ligeiro tropicalismo. Na boca temos nervo oriundo da sua acidez, vegetal, possui ainda uma boa mineralidade que o torna bastante fresco.

Gostei deste branco, pensado para os dias quentes com um PVP anunciado de €3,99, que venha o calor!

Nota: Vinho enviado pela Duorum.

Niepoort Projectos Moscatel Dócil 2011

Niepoort Projectos Moscatel Dócil 2011

O vinho de mesa Niepoort Projectos Moscatel Dócil 2010 é mais uma das experiências comercializadas pela Niepoort Projectos.

Todos os aromas da casta Moscatel foram preservados e temos um vinho com um aroma tropical e na boca é frutado e doce. Com uma acidez elevada, com muito açúcar residual, mas ao mesmo tempo continua a ser um vinho refrescante.
Perfeito para um prato de cozinha oriental, simplesmente como aperitivo, como acompanhamento de sobremesas ou para disfrutar fora de uma refeição.

A sua singularidade faz dele também um presente interessante para oferecer a quem diz que os vinhos são todos iguais e que não despertam interesse.

Adorei esta reinterpretação da casta Moscatel pela Niepoort, um vinho que fará a delicia de todos.

Nota: Vinho enviado pelo produtor Niepoort Vinhos.