Niepoort Turris 2012

20131212-232302.jpg

As 2207 garrafas do novo topo de gama da Niepoort, o Niepoort Turris 2012, vão ser poucas!

Não sei quanto vai ser o seu PVP, provei o vinho no passado fim-de-semana nos preparativos do Adegga Wine Market e só posso dizer que tem tudo para brilhar.
Proveniente de uma vinha com cerca de 130 anos, estagiou durante 15 meses em duas pipas de 1000 litros. Estas pipas também bem velhas, que segundo a Niepoort, contam com mais de 60 anos, são oriundas da região de Mosel.

Fresco, jovem, fino, guloso e com menos madeira que o Batuta.

Mais uma bomba vinda do Douro!

Niepoort Charme 2010

Niepoort Charme 2010

Neste momento a forma como partilho pela rede (Facebook, Instagram, Twitter e ou tumblr) os vinhos que vou provando permite-me ter um som de retorno imediato!

Basta ver os comentários a este Niepoort Charme 2010, no Instagram, mais de 75 likes em poucas horas e uma meia dúzia de comentários positivos acerca deste vinho do Douro.
No Facebook a discussão foi mais acesa e ia numa direcção oposta, felizmente o vinho tem destas coisas, inflama discussões!

Tinha teimosamente adiado a prova do Charme 2010, talvez pela admiração que tenho pela Niepoort, por todo o trajecto que têm feito nestes últimos vinte anos nos vinhos de mesa. Até parece que o trabalho deles é recente, mas estabeleceram uma empresa em Portugal em 1842, daí o reconhecimento que tenho pelo seu trabalho actual, podiam muito belamente ter continuado a produzir Vinho do Porto como tão bem sabem, mas não.
Dirk, arriscou no vinho de mesa, como quem não quer ficar agarrado ao passado.

E este 2010 impressiona logo pela cor, aberta a por em dúvida logo muita coisa para quem possa basear apenas pela cor a avaliação de um vinho.
Tudo se desfaz quando se lhe toma o aroma no copo, uma fina cereja, framboesas e um secar de narinas no final, aguçam o paladar.
Em boca é muito elegante, o lote de Tinta Roriz, Touriga Franca entre outras castas oriundas de vinhas com mais de setenta anos, uma boa selecção de barricas e a maestria desta casa conferem-lhe uma profundidade gulosa.
De salientar a sensação de mineralidade e a acidez que se obtem na boca.
O final é longo, persistente e a palavra intenso adquire aqui significado.

São vinhos como este que elevam o nosso palato e nos aguçam para outras provas.

Nota: Vinho enviado pelo produtor Niepoort Vinhos.

Aplicação da Niepoort para iOS

Tenho partilhado com muita gente a minha ideia que as aplicações estão a espartilhar a Internet como nós a conhecemos.
Mas por outro lado criam um espaço sem distrações na palma da mão dos utilizadores, onde cada marca pode apresentar os seus produtos/serviços.

E foi isso que a Niepoort conseguiu com a sua aplicação disponível no iTunes.
Assim temos o catálogo da Niepoort, com os seus vinhos, informação sobre a vinificação, nota de prova e restante informação técnica sobre os seus vinhos.
Separados pelas categorias: vinhos de mesa do Douro, a secção especial dedicada aos Fabulosos, os vinhos do Porto e os Projectos.
A quinta e última categoria é sobre o universo Niepoort, com informação sobre a família, relatórios de víndima, processos vários e contactos.

Uma aplicação carregada de informação, onde se consegue ficar a conhecer melhor a marca, os seus vinhos e os rostos por detrás da mesma.

Espero que a irreverência desta empresa familiar fundada em 1842, disponibilize numa próxima actualização, a opção de podermos encomendar os seus vinhos através desta aplicação.
E também seria interessante quando se está a ver um determinado vinho, podermos partilhar essa informação com os nossos contactos através das mais populares redes sociais.

Descarregar a aplicação da Niepoort, aqui.